Todos os fluidos oxidam, mas demora anos.

Em aplicações com transformadores sem respiro livre (transformadores onde o ar do ambiente e o óleo não estão em contato direto e contínuo por longos períodos de tempo), a oxidação não é um problema pois a exposição do fluido à atmosfera é mínima. Mesmo em um transformador sem respiro livre ou com exposição intermitente (como ocorre em um transformador com vazamento), a oxidação demora anos para ocorrer.

Cada tipo de fluido oxida de uma forma diferente e os subprodutos da oxidação podem afetar o desempenho de um transformador. Por isso, diferente ensaios de estabilidade de oxidação em laboratórios foram desenvolvidos para serem usados como ensaios de controle para avaliação da estabilidade relativa de oxidação de fluidos dielétricos em ambientes de laboratório, mas eles não são destinados a simular o desempenho operacional de um transformador. As diferenças de aplicações entre o óleo mineral e os ésteres naturais são as seguintes:

  • Os subprodutos da oxidação do óleo mineral formam substâncias que são uma precipitação do fluido. Na prática, o efeito a longo prazo pode ser a formação de lama em superfícies no transformador e uma transferência de calor menos eficiente.
  • Os subprodutos da oxidação do éster natural formam oligômeros (moléculas maiores) que permanecem na solução. Na prática, o efeito a longo prazo pode ser um pequeno aumento da viscosidade do fluido, mas sem formação de lama e nenhum impacto na força dielétrica ou no desempenho dielétrico.

 

Quase 20 anos de desempenho comprovado

Em transformadores sem respiro livre, não há nenhuma preocupação em relação à estabilidade de oxidação do fluido Envirotemp™ FR3™. O fluido FR3 foi formulado para atender às normas do IEC e do IEEE para estabilidade de oxidação, ao mesmo tempo em que consegue as melhores propriedades ambientais.  Saiba mais

O fluido FR3 teve um desempenho eficiente em mais de um milhão de transformadores em seis continentes e 30 países por quase 20 anos. Essa experiência de aplicação inclui:

  • Transformadores com respiro livre (até 11 anos) e LTC’s
  • Transformadores herméticos e transformadores aperfeiçoados com balões nos protetores, incluindo unidades com balões instalados incorretamente
  • Estudos de oxidação de película magnética e de grandes volumes de cinco anos, suportados por diversos testes de laboratório conduzidos ao longo de grandes períodos de tempo, que comprovam o desempenho do FR3 durante o uso

Mesmo que a taxa de oxidação seja mais rápida do que a do óleo mineral, o tempo necessário para a oxidação de películas magnéticas é normalmente longo o suficiente para permitir procedimentos normais de manutenção (que duram de dias a algumas semanas) para uso durante os reparos no transformador (quando os componentes estão fora do transformador ou quando o tanque exposto do transformador tiver sido esvaziado). Etapas simples de manuseio e recomendações minimizam o potencial para qualquer problema. Para saber mais detalhes, a Cargill possui guias detalhados sobre armazenamento, manuseio e manutenção para as suas equipes.

A estabilidade do fluido FR3 provou ser o suficiente para aplicações na vida real na maior parte das condições climáticas e práticas de manutenção no mundo todo. A estabilidade da oxidação em um transformador não é um fator limitante para o fluido FR3.

Entre em contato com a nossa equipe de fluidos dielétricos para ajudar você a inclui o fluido FR3 nos seus parques de transformadores de potência e distribuição.

Recursos